Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

06.05.19

Domingo foi...

Anita

As alternativas são muitas, há sempre bons locais para explorar. Recantos para conhecer neste nosso país, pequeno, mas maravilhoso. Basta estar sol, haver vontade e lá vamos nós à descoberta.

 

Nao_me_canso_disto_geres5c.jpg

 

Ontem fomos até ao Gerês, procurar a ponte da Misarela. Já lá tínhamos tentado ir à uns anos, mas desta vez estávamos decididos em fazer a caminhada. 

 

Nao_me_canso_disto_geres1a.jpg

 

Estacionámos o carro, antes de passar a albufeira, e fizemos a caminhada pelo percurso pedestre até à ponte. É mais fácil o caminho do lado oposto à aldeia da Misarela. O caminho embora pareça complicado é bastante fácil de fazer com crianças e não é assim tão longo quanto parece inicialmente. Vale bem a pena.

 

Nao_me_canso_disto_geres1b.jpg

Nao_me_canso_disto_geres1.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres2.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres3.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres3a.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres4.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres6a.jpg

 

Ponte da Misarela, conhecida como ponte do Diabo, onde ainda nos nossos dias se fazem bruxedos. O local é lindo. Fica a questão, como conseguiram fazer aquela ponte naquele local? 

 

Nao_me_canso_disto_geres5a.jpg

 

Depois da ponte da Misarela era urgente arranjar um local para um piquenique. Os nossos príncipes estavam desertos para trincar alguma coisa. Depois de Cabril, bem acima na montanha, descobrimos um local com mesas, água e sombra - Fonte de Encruzilhadas.

 

Nao_me_canso_disto_geres7a.jpg

 

Os príncipes mais novos aproveitaram o local para brincar. A Eevee para beber água fresca. De um lado estávamos nós, do outro lado da fonte estava um grupo enorme, que foi de autocarro, que decidiu ali fazer um convívio.

 

Nao_me_canso_disto_geres7.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres8.jpg

 

Nao_me_canso_disto_geres8a.jpg

 

Havia perto uma mata de carvalhos lindíssima. O meu marido, o príncipe mais velho e os dois mais novos, mais a Eevee, decidiram ir explorar e talvez subir até ao cimo de uma montanha que havia ali perto, para aproveitarem a paisagem. Eu ainda pensei ir, mas acabei por ficar com os gémeos.  Passados alguns minutos vejo o Afonso vir a correr. Pensei que estava a brincar, mas quando chegou disse que estavam a ser atacados por abelhas. Passados minutos aparece o Mini. Achei estranho vir sozinho. Embora no Gerês, estávamos próximos de uma estrada que até tinha muitos carros a passar. Ele disse que tinha sido mordido por uma abelha na orelha. Não vi nada. Não tinha nada. Logo depois aparece o meu marido, o Diogo e a Eevee. Tinham sido mesmo atacados por um enxame de abelhas, quando tentaram subir até ao cume da montanha. O Diogo tinha um ferrão ainda espetado na cabeça. Eu com as unhas retirei-o. A Eevee tinha sido mordida no dorso. O meu marido, esse coitado tinha 3 picadas nas costas, uma num braço e outra na orelha. Pelos vistos o ferrão que ainda estava na orelha já o Diogo lhe tinha tirado. Acho que nunca mais se vão esquecer deste passeio!

 

Nao_me_canso_disto_geres9.jpg

 

15.02.19

Uma vila radical

Anita

Já ouviram falar da vila onda

 

51017154_1229492147205459_6142385205643575296_o.jp

 

A vila onda de Portugal é Vila Verde. McNamara prepara-se para um novo desafio em Portugal - prepara-se para uma viagem até ao norte, onde não há mar, para um novo desafio: surfar as ondas das estradas de Vila Verde. 

Se há vilas radicais, Vila Verde é uma delas. Acho que há mais ondas na estrada (entre lombas e buracos) que no mar da Nazaré. 

 

29.11.18

Amante de história

Anita

O Afonso descobriu que adora história, a nossa história - história de Portugal. 

 

Nao_me_canso_disto_livros.jpg

 

Descobriu este livro no Pingo Doce (só havia este) e pediu-nos. É bom conhecer a nossa história. Já pediu outros. Provavelmente vão surgir no Natal.

Tanto os levamos a conhecer locais históricos, que acabam por gostar. 

Além disso, ele sabe que o seu nome é baseado numa grande figura da nossa história - o Condestável D. Nuno Álvares Pereira. 

 

21.07.17

Há sonhos que se realizam #4

Anita

Tínhamos uma viagem marcada à muito: Piódão, mas sempre que tentávamos ir acontecia alguma coisa e tínhamos que adiar.


Mas no sábado, lá fomos. 3 horas e tal de viagem, montanhas e mais montanhas; miúdos a questionar se ainda falta muito, que já estão fartos de montanhas,... lá chegámos.
Bem, valeu bem a longa viagem, mas vale mesmo. Piódão é simplesmente lindo. Simplesmente, porque a sua simplicidade faz daquele espaço um lugar mágico. E, apaixonámo-nos por aquela pequena terra. 

Subimos e descemos ruas, subimos e descemos escadas. As pequenas vielas de xisto não deixam ninguém indiferente. No meio da aldeia o calor não se sente tanto. As casas, as ruas são lindas. 











Um pequeno canito dormitava numa sombra. Nem se mexeu na nossa passagem. Mais tarde descobrimo-lo noutro local, próximo do dono talvez, onde o Afonso aproveitou para lhe fazer festas.



A hora ia avançando, o calor também. Descemos até à piscina natural, talvez com a ideia de tomar um banho, especialmente os miúdos, mas começámos por sentir a água. Água gélida, mesmo de montanha, só os pés resistiam, mesmo assim tínhamos que os retirar aos poucos para fora de água. Acho que não havia gelo por acaso... Uma praia natural, com nadadores salvadores e tudo (2), mas onde só os mais corajosos se atrevem a molhar o corpo.


Depois de estarmos bem frescos, bastou molhar os pés, continuámos a nossa aventura por Piódão. Subimos de novo à aldeia, com o objetivo de chegar à praça central, onde se encontra a maior parte do comércio e a igreja.


Passámos por acaso pela pequena loja do sr. Lourenço. Cá fora tem uma banca com imans, casinhas, cestos e alguma fruta apelando à visita na sua loja. Parámos para comprar alguma coisa. O príncipe mais velho adora figos, ali estavam grandes figos, escolheu-os cuidadosamente mas acabaram por ficar, sem que déssemos conta. Que pena, tinham tão bom aspeto.



Já no centro fomos ao Solar dos Pachecos. E, depois aproveitámos que a igreja estava aberta para visitar.




Piódão foi uma agradável surpresa. Voltaremos com mais tempo para desfrutar daquela serenidade, daquela beleza, daquele ambiente. Em cada esquina algo nos surpreende.







Ali comemos as primeiras amoras este ano.


Só tenho pena que seja tão longe... Até os príncipes gostaram daquela aldeia. Sem dúvida uma das aldeias mais bonitas de Portugal.


12.05.17

Papa em Portugal

Anita

O Papa está em Portugal. 
Não tive tolerância de ponto como a função pública. Se tivesse tolerância de ponto ia a Fátima? Não. Gostaria? Gostaria muito de ver o Papa. 
Mas uma coisa tentarei fazer: acompanhar o máximo esta visita especial ao nosso país. 
Que nos traga esperança. Que traga esperança à minha família. 

O Mundo de Anita

foto do autor

Aviso

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Anita e as Fotos

Anita e a História

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D