Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Quando se descobre...

01.06.20, Anita

não_me_canso_disto_afonso4.jpg

 

O Afonso ficou assim quando descobriu que o período escolar não termina dia 9 de junho.

Pois... eu também fico assim cada vez que me lembro! Pior, até choro... 

 

Que as há, há!

01.06.20, Anita

não_me_canso_disto_eles1.jpg

 

Na 6ª-feira, depois de terminar o trabalho, fui passear a Eevee com os príncipes mais novos. 

O Afonso primeiro quis ir, depois por preguiça de ter que mudar de roupa mudou de ideias, mas acabou por ir.

Fomos com a Eevee até às piscinas. Quando vamos até lá, há um local que tem umas pedras que eles gostam de saltar. O Mini continuou o percurso comigo, mas o Afonso quis saltar as pedras. 

Ouvimo-lo gritar, mas pensámos que estaria a brincar. Quando se juntou a nós tremia um pouco. Questionou se não o ouvimos gritar? Claro que ouvimos. Pelos vistos, quando ia a saltar as pedras, estava em cima de uma delas uma cobra. A cobra fugiu, mas o Afonso gritou assustado. 

Quando regressámos estava lá um pequeno lagarto ao sol. A cobra não se quis mostrar a nós todos. Devia estar tão assustada como o Afonso.

 

não_me_canso_disto_lagarto.jpg

 

Já perto de casa algo fez o Mini entrar em pânico. Um insecto voador bateu contra ele. O Afonso disse que era uma libelinha, mas a mim, pelas cores, aparecia-me um gafanhoto. Já meio assustado por causa do Afonso ter visto a cobra (nós não vimos), quando sentiu algo a bater contra ele deu um berro enorme.

 

Ali no Oeste

01.06.20, Anita

Hoje de manhã, na leitura dos blogs que acompanho, eis que descubro um post sobre a minha terrinha - Montes, ali num monte, em coutos de Alcobaça, na zona Oeste.

A Miluem fala da linguagem tão característica na minha aldeia. Há palavras que usava com frequência e que ao longo destes 30 anos no norte se foram perdendo. Mas há algumas que de vez em quando ainda as uso.

Foi um bom momento. 

 

Pág. 10/10