Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

A cada conto...

29.04.20, Anita

não_me_canso_disto_livro.jpg

 

Calhou mesmo bem esta história, o Mini tinha dado os as, es, is, os, us,  e esta história da "A Lesma Constipada" é recheada de palavras assim. 

Um história muito engraçada, que trás uma mensagem muito interessante no fim. 

Depois de lermos discutimos um pouco o exagero da lesma e o problema que ela tinha efetivamente.

O Mini gostou tanto, que até a levou com ele.

 

não_me_canso_disto_livro1.jpg

 

não_me_canso_disto_livro2.jpg

 

20 anos de matrimónio

29.04.20, Anita

não_me_canso_disto_Casamento.jpg

 

Chovia como hoje. 

Seria uma festa simples, com as pessoas que nos eram mais próximas. No total fomos 21 pessoas no meu casamento.

Quando cheguei à igreja a minha mãe viu o padre descontraído a passear nas naves laterais do mosteiro. Já tinha visto o noivo, já tinha visto a noiva, mas faltavam os convidados! Estava já tudo.

Perante isto, numa igreja tão grande, o padre convidou toda a gente para ficar no altar. Assim sendo casámos rodeados dos que nos eram mais próximos efetivamente.

 

não_me_canso_disto_Casamento1.jpg

À saída do mosteiro, um grupo de turistas ladeou-nos e bateu as palmas efusivamente. Alguns foram mais longe e cumprimentaram-nos desejando felicidades. 

A festa foi num restaurante, com comida excelente. Tivemos o famoso "frango na púcara" - estava maravilhoso.

Uma mesa oval onde cabíamos todos. 

Não tivemos fotógrafo. Poupámo-nos a essa loucura de ter fotógrafo, em que tudo é ensaiado e cheio de regras. Umas amigas minhas levaram a máquina fotográfica e foram as nossas fotógrafas descontraídas. Mesmo o que queríamos. 

Para mim e para o meu marido foi um dia perfeito. O nosso dia. O dia em que nos divertimos e usufruímos do nosso casamento, sem regras e com quem realmente gostávamos.

Passam hoje 20 anos. 

20 anos depois continuamos cúmplices e claro, de 2 ficámos 7.

 

Diário de uma guerra invisível

28.04.20, Anita

#dia 47

Acordei com vontade de ir passear a Eevee. O meu marido hoje tinha que ir ao trabalho.

Ouvi passar um avião. Antes era constantemente, agora passam-se dias sem ouvir um.

Comecei por passar a ferro pois ainda era cedo e a Eevee estava calma. Quando pensei ir passeá-la chovia imenso. A Eevee não pôde passear de manhã.

O Mini acordou para assistir à telescola. O Afonso acordou e também foi fazer trabalhos da escola. Os gémeos também assistiam a aulas.

Depois de fazer o almoço fui passear a Eevee. Estava sol.

A tarde foi passada entre trabalho e aula síncrona do Mini. 

Quando tornei a pensar em ir passear de novo a Eevee, chovia de novo. Que raio de dia!

Parece que os próximos também são dias de chuva. 

 

IMG_20170705_200848.jpg

 

O filho do meio

28.04.20, Anita

não_me_canso_disto_afonso7.JPG

 

 

O Afonso é um dos filhos do meio. Mas tem sentimentos do filho do meio.

Acha que nunca está sozinho com a mãe. Exige estar sozinho com a mãe, especialmente sem o irmão mais novo.

Para ele o irmão mais novo retira-lhe o "seu espaço".

Ontem à noite, já tinha lido a história ao Mini e o Afonso foi para o meu lado, na minha cama. Mas o Mini voltou a aparecer e só lá queria ficar, sem incomodar. O Afonso não aceitou. Amuou. 

São complicadas estas alturas, pois tenho a noção das necessidades do Afonso, mas também não quero expulsar o mais novo. Que fazer? 

O Mini lá acabou, depois de tanta insistência do irmão, por ir embora, amuado...

O Afonso pôde então ler descansado, tal como ele queria, só com a mãe.