Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Eles cresceram...

02.04.18, Anita

Quando no fim-de-semana olhei para esta fotografia pensei: "Eles cresceram! Como?"
Acho que não dei conta do crescimento. Como foi rápido! Rápido demais... O que lhes aconteceu? Ainda à pouco tempo tiraram esta fotografia...


Páscoa na neve #3

02.04.18, Anita
 
Como já deu para perceber, fomos passar a Páscoa à neve. 
À muitos anos que não ia à Serra da Estrela e nunca lá tinha ido com neve e, os príncipes não conheciam. Por isso, tudo planeado, na Páscoa lá fomos.
 

 

Embora os príncipes mais novos não tenham apreciado muito o frio, os príncipes mais velhos adoraram a neve. Posso dizer que à muito que não fazíamos uma viagem sem queixumes. Desta vez correu tudo sem uma crítica, por parte dos mais velhos.
 
Os príncipes mais velhos aproveitaram a serra com neve ao máximo. Atiraram bolas de neve uns aos outros (pobre pai!!!), desceram ladeiras com a prancha, passearam. Tudo com muita calma, sem ouvirmos o típico "já estou farto!", "quando vamos embora'". Já não me lembrava deles assim!!
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi só um toque!

02.04.18, Anita
Qual a probabilidade de bater num carro na fila do MacDrive?

GRANDE.

Mas quando é para bater, o meu marido sabe escolher bem os carros: bateu num Porche.

Mini conversa

02.04.18, Anita
Ligo para casa a meio da tarde (sim, hoje trabalhei!).

Falo com o meu marido.

O Mini quer falar com a mãe.

Quer saber quando volto para casa. Pergunta se ainda volto de dia.

Questiono:

" - Tens saudades da mãe?"
" - Sim."

" - Estás farto de aturar o pai?"
" - Simmm."


Páscoa na neve #2

02.04.18, Anita
Parece que a neve é fria. Quem diria!?
A partir do momento que passámos a ver neve, na subida da montanha, o Afonso não parou quieto, nem calado. 

" - PÁRA, PAI."
" - PÁRA!"
" - Que raio de pais, que não me deixam ir divertir para a neve..."

Isto, na subida da montanha, onde não havia mais espaço que o espaço de 2 carros, um no sentido para cima, outro para baixo. 
Quando vimos o primeiro lugar disponível, estacionámos.
O Afonso estava eufórico. Calçar as galochas foi uma aventura, pois ele não queria perder um minuto!

Atirou-se para a neve, mas aquilo é gelado (sim, o Mini teve o mesmo problema!!!) 5 minutos foi o tempo suficiente para detestar a neve. Voltou para o carro. Ele o Mini no carro, quentes, a verem os outros...
Os príncipes mais velhos, esses sim, divertiram-se ao máximo. O Afonso, por ver os irmãos a divertirem-se tanto, quis arriscar de novo.
Mesmo cheio de frio brincou imenso na neve. Caiu em buracos e riu-se. Deslizou encostas. Brincou com bonecos de neve. No fim adorou a neve, mesmo que esta seja gelada!

 



Se vamos à neve?!

02.04.18, Anita

Se vamos à neve temos que nos preparar. Nós não somos diferentes.
Fomos à loja de desporto ver o que faria falta.
Comprei um casaquinho mesmo quentinho para a neve.
A caminho da serra, quase no Porto, o meu marido pergunta onde pus o casaco? Que raio de pergunta!!!???... Pois... o casaco ficou em casa...
Foi uma compra útil!!!

Páscoa na neve #1

02.04.18, Anita
Demos um saltinho à Serra da Estrela, na Páscoa. Os príncipes loucos por verem neve. Queriam pisá-la, mexer-lhe.

O Mini estava louco. Quando parámos quis logo pisar a neve. Mas... parece que a neve é gelada!!


Alguns minutos depois estava dentro do carro, sem botas, quentinho, a comer. Comeu, comeu, comeu... Não se queixou de estar dentro do carro.
Mais tarde quis voltar a arriscar! Talvez aquilo do frio já tenha passado! Mas, parece que é mesmo gelada a neve...


1 minuto depois dentro do carro de novo. Dormiu, dormiu, dormiu, dormiu...


Há pessoas que adoram mesmo a neve!!!

Cão preguiçoso

02.04.18, Anita
Ali para os lados da Serra da Estrela, perto de Seia, descobrimos este canito.


Os carros iam parando e seguindo viagem e ele impávido e sereno, na sua sesta, no seu descanso. Quando estávamos quase, quase a partir, decidiu mudar de lugar e ficar perto do nosso carro.
O Afonso, aquele coração doce, pensou que ele estava abandonado. Expliquei que não. Mas ele não ficou convencido. Achou que o cão tinha fome. Após muita insistência, cedi em lhe dar uma sandes. 
O cão já se tinha deitado, todo esticado, ao lado do nosso carro.
Não conhecendo o animal, coloquei a sandes próxima das suas patas dianteiras. Ele não se levantou, arrastou-se um pouco, até chegar com a ponta do focinho à sandes. Comeu-a, deitado, sem grande esforço, nem intenções de se mexer muito...