Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Não me canso disto

Uma nova porta para o mundo...O meu MUNDO.

Domingo foi...

07.05.16, Anita
 
O sol pede para sairmos de casa e, foi o que aconteceu no domingo. Montanha acima, uma vez mais, lá fomos a caminho de Pitões das Júnias. Parámos a meio para um piquenique. Os príncipes aproveitaram para dar uns chutos na bola. Eu, aproveitei para apanhar um pouco de sol na companhia de um querido cãozito que ali foi abandonado.
 

 

 

 

 

 
Seguimos viagem com uma tristeza a pesar nos nossos corações.
 
As paisagens são deslumbrantes nesta época do ano. Serra acima, lá seguimos...
 

 

 

 

 

 

 

 

 
O objectivo em Pitões das Júnias era ir à cascata desta vez. Depois de um inverno rigoroso, em que até neve houve com fartura, a intensidade da cascata era grande.

 

 

 

 

 

 

O meu marido e o João, mais aventureiros, desceram a montanha até ao fundo da cascata. Eu fiquei com os outros príncipes. Começámos a subir a montanha até à levada de água. O Afonso quis molhar os pés; o dia estava quente e até apetecia. Mas, na montanha, a água é tão gelada que ele entrava e saía da vala.
 

 

 

 

 
O meu marido e o João quando chegaram vinham encantados com o que viram, mas a descida não é fácil, com miúdos tão pequenos é arriscada a descida.
 

 

 

 

 

 
 
Pensámos lanchar perto do carro, mas o cheiro intenso a estrume não nos permitiu.
 

 

 

 

 
Subimos até à aldeia, onde lanchámos. Estava na hora da vacas voltarem para casa, algumas voltam sozinhas, outras com o pastor ou mesmo acompanhadas pelos cães.
 

 

 
Assim se recarregam as energias para uma semana de trabalho.

 

De coração partido

07.05.16, Anita
 

É triste o que acontece aos animais. Como se fossem descartáveis, facilmente são abandonados. Triste, mas é o que acontece.
No domingo, parámos na barragem da Venda Nova para um piquenique. Mal parámos um pequeno canito, meigo, veio logo ter connosco. Com corrente ainda ao pescoço, ali ficou sempre perto de nós. Partilhámos com ele o nosso piquenique. Demos-lhe água. Mas, infelizmente, não o podemos trazer. Não podemos ter mais animais.
O Afonso, chorou. Eu chorei. O silêncio no carro era profundo. Um bocadinho do nosso coração ficou com aquele canito. A dor de deixar ali o pobre animal...
Como é possível alguém fazer isto?!?
 



Momentos a 2

07.05.16, Anita
Dois sempre prontos para a brincadeira. Uma cumplicidade, uma proximidade, por vezes um amor-ódio.


Estatísticas

07.05.16, Anita
Gosto de ver, de quando em vez, onde se encontram as pessoas que visitam aqui o meu tasco. Desta vez o destaque especial vai para o Camboja.